• Viva Guarapuava

NFT: a nova linguagem que vai promete dominar o mundo dos negócios

26 de maio de 2022


Não é novidade que o mundo dos ativos digitais vem crescendo. A princípio, surgiram o bitcoin e a blockchain, que no começo enfrentaram um tanto de resistência dos investidores, mas que com o passar do tempo ganharam um notável espaço, assim como outras criptomoedas que foram chegando ao mercado.


Mas não só isso: há poucos anos também foram criados os NFTs, ativos que estão altamente populares entre os investimentos digitais, mas que ainda causam diversas dúvidas em quem deseja iniciar este tipo de aplicação.


Para se ter uma ideia, os ativos estão tão em alta que diversas empresas têm aderido ao seu modelo de negócio. A Ferrari, por exemplo, anunciou recentemente que assinou contrato com Velas Network, líder de tecnologia blockchain e de NFTs, para criação de conteúdo digital voltado aos fãs. Outro exemplo é a Gap, que também comunicou que lançou NFTs de seus moletons.


Tudo bem, muita gente está falando sobre isso, mas ainda há quem se pergunte: ‘o que são os NFTs?’. Por essa razão, este guia foi preparado, com o intuito de explicar detalhadamente ao leitor sobre o que são esses ativos, como funcionam e se vale a pena investir neles.


O que são NFTs?

Os NFTs, sigla em inglês para “non-fungible tokens”, que se traduz para o português como “tokens não fungíveis”, são um tipo de investimento digital. No primeiro momento, a compreensão sobre esse tipo de aplicação pode até parecer difícil, mas na verdade ela é mais simples do que se pode imaginar.

Para ficar mais claro, primeiramente é necessário observar com cuidado o que significam “tokens” e “fungíveis” da sigla.


Os “tokens” são a representação de um bem (seja ele virtual ou físico, como uma obra de arte exposta em um museu ou um domínio de site) no ambiente virtual, que são armazenados pela tecnologia blockchain – base compartilhada de dados que faz o registro e validação de transações digitais.


Já “fungíveis” quer dizer que são itens passíveis de serem substituídos por outras coisas da mesma espécie, qualidade e quantidade. Um exemplo seria uma nota de R$ 100, já que ela pode ser trocada facilmente por outra e ainda manter o seu valor original, sem alterar nada além da cédula.


Sendo assim, um token não fungível é um bem único e insubstituível, que em hipótese alguma pode ser trocado por outro, além de ter um preço normalmente significativo no mercado (diga-se de passagem, o preço da originalidade).


Um exemplo seria quando o chefe do Twitter (TWTR34), Jack Dorsey, vendeu seu primeiro tweet (que é, de certa forma, um “produto” exclusivo em todo o mundo) como um NFT por pouco mais de US$ 2,9 milhões, que foram pagos com a criptomoeda ethereum, em março de 2021.


Como funcionam os NFTs?


Os NFTs, que são diferentes tipos de “produtos” criados por diversos tipos de pessoas (sejam elas comuns, artistas, desenvolvedores ou quaisquer outros tipos de criativos), são colocados à venda em algum marketplace específico.


Depois, quando já adquiridos, se tornam, de certa forma, propriedade exclusiva do investidor.

Sendo assim, ainda usando o exemplo de Dorsey, vender um tweet não significa que a publicação foi parar nas “mãos” do comprador, mas que foi desenvolvido (na rede blockchain) um certificado de autenticidade sobre a publicação, e que esse certificado foi destinado e se tornou propriedade de quem fez o investimento.


E essa mesma lógica serve para todos os outros NFTs, viu? É desse jeito que funciona o sistema de compra e vendas dessa categoria de ativos.


Como está o mercado dos NFTs?


Conforme relatório do DappRadar, site de rastreamento de dados para aplicações baseadas em blockchain, o mercado de NFTs movimentou cerca de US$ 25 bilhões em 2021. Um crescimento significativo se comparado com o ano anterior, que movimentou apenas US$ 94,9 milhões.


Para Lucas Tavares, diretor de tecnologia na NFMarket Agency, o mercado de NFT pode esperar um crescimento ainda maior nos próximos anos, ainda mais porque esse segmento, de certa forma, acabou de surgir. “Eu acho que é só o começo”, comenta Tavares.


Ele ainda acrescenta que “quem entrar agora vai realmente se dar muito bem, mas não comprando qualquer coisa, e sim estudando os projetos” e que acredita fielmente que o mercado vai explodir por causa do metaverso – onde itens do ambiente são negociados como NFT.


Na mesma linha, Andrey Nousi, CEO da Nousi Finance, aponta que pelas oportunidades de ganho no mercado e pelas comunidades que são criadas entre os investidores, a comercialização de tokens não fungíveis deverá se expandir ainda mais nos próximos anos. “No meu ponto de vista, só está começando”, declara Nousi.


Como ter um NFT?


Para adquirir um NFT é preciso seguir alguns passos. Primeiro de tudo, o investidor deve se cadastrar em alguma plataforma que comercializa os ativos. Depois, é o momento de avaliar e escolher o NFT de interesse.


Mas, antes de realizar a compra, também é necessário checar se há fundos suficientes de criptomoedas, já que os tokens são comercializados com essa espécie de dinheiro.


Portanto, se o investidor não tiver as criptomoedas, ele precisará comprá-las. E, para fazer isso, ele deverá procurar uma instituição financeira que faz a comercialização dos ativos, como a Binance, Coinbase Exchange, FTX, Kraken, etc.


Depois que o investidor pagar pelas criptomoedas, a instituição financeira deverá transferir os ativos para a carteira digital dele – que é uma ferramenta de armazenamento que, normalmente, permite incluir vários tipos de criptomoedas, além de poder ser instalada no computador ou celular do usuário. MetaMask, Coinbase Wallet, Atomic Wallet e Fortmatic são algumas das opções.


Já com as criptomoedas na carteira, o investidor só precisará transferir os ativos para o marketplace que está comercializando o NFT de seu interesse. Mas tem um detalhe importante: existe uma taxa, chamada de gas, que deve ser paga na transação, portanto, o investidor precisará conferir qual é o valor de encargo antes da transferência.


Onde comprar NFTs?


Existem diversas lojas, conhecidas como marketplaces, que comercializam NFTs. Por exemplo:

Binance NFT; OpenSea; Solanart; Coinbase NFT; FTX NFTs.


Quanto vale um NFT?


Cada NFT tem seu valor no mercado. O preço vai depender do quanto o item parece ser interessante e cobiçado entre os investidores.

mapa antigo gp.jpg

Ano de 1819 lembra o ato formal de fundação da Freguesia de Nossa Senhora de Belém 

gp hoje.jpg

SÉRIE
Guarapuava é a gente que faz 

tropeiros.jpg

Documento original assinado em 1818 por Joaquim de Marçal nunca foi encontrado

DEIXE SUA OPINIÃO

Obrigado!