• Viva Guarapuava

Sindicato Rural representa a força do agro na Região de Guarapuava

Entidade completou 54 anos em outubro com uma das principais estruturas de apoio ao produtor rural no Paraná

Presidente do Sindicato, Rodolpho Botelho: representatividade rural quer dizer diagnosticar as demandas regional e localmente e buscar auxílio


O Sindicato Rural de Guarapuava completou 54 anos no dia 18 de outubro. Desde a sua fundação, em 1967, pelo agropecuarista Ruy Virmond Marques e um grupo de outros produtores, a entidade tem buscado levar representatividade séria para o homem do campo.


Hoje, o Sindicato Rural possui um quadro de associados de, aproximadamente, 800 produtores. Além da representatividade, busca informar, capacitar e orientar o produtor rural nos mais diversos âmbitos do setor produtivo, atuando nos municípios de Guarapuava, Candói, Cantagalo e Foz do Jordão.


Participação do Sindicato na WinterShow, maior evento de cereais de inverno do Brasil, promovido pela Cooperativa Agrária em Entre Rios: contato em todas as frentes com os produtores rurais


Apesar de 2020 e 2021 terem sido anos difíceis devido à pandemia do Covid-19, o Sindicato Rural buscou estar ao lado do produtor rural, atendendo suas necessidades. “Mesmo em uma pandemia, há mais de um ano e meio, mesmo nesse tempo, o sindicato não parou. Continuou com seus serviços, prestando orientação e auxílio aos produtores rurais na regulamentação documental, informações pela Revista do Produtor Rural e redes sociais”, destacou o presidente do Sindicato Rural de Guarapuava, Rodolpho Luiz Werneck Botelho.


CONQUISTAS


Representatividade rural quer dizer diagnosticar as demandas regional e localmente e buscar auxílio nas entidades e órgãos competentes para que elas sejam atendidas. “Dentro deste ano atípico ainda tivemos várias disputas e conquistas a nível estadual e federal. Precisamos de um sindicato forte, bem representado, com produtores atuantes para que possamos ter força e representar nossa classe perante aos governos municipais, estaduais e até federais”, pontuou Botelho.

Entre os serviços prestados aos sócios está a declaração do Imposto Territorial Rural (ITR), Cadastro do INCRA (CCIR); Guia de Trânsito Animal (GTA), emissão da certidão negativa do IAT, folha de pagamento para funcionários das fazendas, assessoria técnica gratuita na área de Reprodução Animal, Projeto Identidade Sindical com descontos em diversos estabelecimentos, banco de empregos, com auxílio na busca e contratação de funcionários para propriedades rurais, assessoria ambiental e assessoria jurídica.


Para se ter uma ideia em uma das ações jurídicas que o sindicato tem auxiliado, que é a questão do salário-educação, desde 2017, 144 produtores associados já entraram com a ação e receberam de volta o valor retroativo, pago de forma indevida, além de deixaram de recolher a contribuição social do salário-educação. Já foram pagos efetivamente R$ 1.100.000,00 a estes produtores.



COMUNICAÇÃO SOCIAL


Informação de qualidade é também uma das prioridades do Sindicato Rural, seja por meio de matérias técnicas de qualidade por meio da Revista do Produtor Rural do Paraná, Portal do Produtor Rural e redes sociais ou na promoção e apoio de eventos técnicos na região.


Para capacitar o homem do campo e seus colaboradores, por meio do convênio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Sindicato Rural tem se destacado no número de treinamentos oferecidos mensalmente. São centenas de opções oferecidas gratuitamente e que contribuem para profissionalização da atividade.



Outros projetos buscam também auxiliar os produtores rurais. Um exemplo é, por meio da demanda e apoio sindicato, a Patrulha Rural do 16º Batalhão de Polícia Militar (BPM) foi reativada na região de Guarapuava. Desde então, a entidade tem dado apoio à equipe, criando e administrando grupos de WhatsApp centralizados por região, facilitando a comunicação entre o produtor rural e a PM.


ESPAÇO ABERTO


No mesmo viés, contribuindo para segurança no campo, o sindicato lançou o Projeto Placas de Fazenda. A entidade intermedia a confecção de placas refletivas sinalizando o nome da propriedade rural.

O associado também conta com diversos espaços para seus eventos, seja profissionais ou festivos. Venda de alevinos e de Nogueira Pecã também fazem parte das atividades do Sindicato Rural.

“O Sindicato Rural de Guarapuava tem uma representatividade forte, tanto a nível estadual, como a nível federal. Pretendemos continuar nessa batalha de representatividade, tornando cada vez mais o setor agropecuário digno de representar o Brasil não só na economia, mas em todo o sistema produtivo”, finalizou o presidente.


Sindicato promove campanhas de promoção e assistência social junto aos associados; a adesão a essas iniciativas é grande, demonstrando o espírito solidário do produtor rural


Ações do Sindicato Rural

Mesmo 2021 sendo mais um ano de pandemia do Covid-19, o Sindicato Rural de Guarapuava não paralisou suas atividades. Confira:


Serviços – Os serviços do Sindicato Rural não pararam em nenhum momento: emissão de CCIR, ITR, Certidão Negativa do IAT, folha de pagamento, orientação jurídica, entre outros.

Ações Sociais – O Sindicato Rural realizou diversas parcerias para realização de ações sociais. Roupas, cobertores e alimentos foram as principais doações.



Entrega de alevinos – Há anos o sindicato realiza a encomenda e entrega de alevinos para produtores rurais da região, em parceria com uma piscicultura da região.


Entrega de pecã – As entregas de mudas de Nogueira Pecã acontecem uma vez ao ano na entidade, com o objetivo de incentivar a diversificação nas propriedades rurais.


Projeto Placas de Fazenda – O Sindicato Rural está intermediando a produção de placas de fazenda com o nome da propriedade rural.


Produtor Patriota – Mantendo pelo ano todo a Campanha Produtor Patriota, a entidade realiza a encomenda de bandeiras do Brasil.


Patrulha Rural – O Sindicato Rural de Guarapuava demandou a reativação da Patrulha Rural da Polícia Militar em 2020 e ainda mantém o apoio e proximidade com a equipe para reforçar a segurança no campo.

Programa Rotas da Liderança – O Sindicato Rural mobilizou a primeira turma presencial do Programa Rotas da Liderança, disponibilizado pela Faep em parceria com o Sebrae.


Cursos Senar – O Sindicato Rural de Guarapuava, mesmo em meio à pandemia e períodos de restrições, continua sendo destaque na mobilização de cursos, em parceria com o Senar, no Paraná, capacitando produtores e trabalhadores rurais.


Dia do Agricultor – Neste ano, devido as restrições de sanidade, o Dia do Agricultor foi realizado no formato drive-thru, buscando valorizar o homem do campo. Mais de 100 carros passaram pelo evento.

Encontro da Comissão de Mulheres – O Sindicato Rural de Guarapuava mobilizou o Encontro de Comissão de Mulheres em outubro, buscando reforçar a presença feminina em papeis de representatividade rural e formar uma comissão local de mulheres.


Wintershow – Por mais um ano, o Sindicato Rural marcou presença no maior evento de cereais de inverno do país: o Wintershow, realizado pela Cooperativa Agrária.

Reunião CSA – Reuniões técnicas, participação em conselhos são atividades frequentes dos diretores do Sindicato Rural. Exemplo são as reuniões do Conselho de Sanidade Agropecuária (CSA), reativado com apoio da entidade sindical.


Na FAEP, a voz da Região de Guarapuava está sempre presente


O Sindicato Rural de Guarapuava tem participação efetiva junto à Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP). É nesta instância estadual que as grandes questões que envolvem a vida do agricultor paranaense são discutidas e analisadas para se transformarem em pautas de trabalho das lideranças rurais seja no âmbito estadual ou nacional.


Além das parcerias locais com o Sistema FAEP/SENAR, no desenvolvimento de cursos profissionalizantes e palestras/treinamentos com temáticas de interesse atual dos associados, o Sindicato se mostra presente nas grandes questões da agricultura do Estado e do País como um todo.

O presidente do Sindicato Rural de Guarapuava, Rodolfo Botelho, destaca que um dos fatos marcantes de 2021 foi a conquista internacional que o Paraná obteve, como um Estado livre da febre aftosa sem vacinação.


A construção do sistema sanitário paranaense para a conquista do novo status foi inicada na década de 1970, quando o Paraná começou seu programa de profilaxia e controle da febre aftosa. Desde 1997, o Sistema FAEP/SENAR investiu mais de R$ 40 milhões no desenvolvimento sanitário do Estado, mobilizando uma série de ações e iniciativas que colaboraram, de forma fundamental, para a estruturação sanitária realizada no Paraná.


Os produtores da Região Central do Paraná, representados pelo Sindicato Rural de Guarapuava, destacam-se pelo alto nível tecnológico, uma busca constante de aperfeiçoamento que é apoiada em todas as iniciativas do órgão de classe

TARIFA RURAL NOTURNA – A Tarifa Rural Noturna, benefício que concede 60% de desconto no valor da energia elétrica de produtores rurais do Paraná entre 21h30 e 6h da manhã do dia seguinte, tornou-se lei em 2019. A Faep atuou de forma expressiva pela renovação do benefício, por meio de envio do ofício com pedido de revisão sobre o encerramento do benefício e solicitou apoio de deputados estaduais do Paraná para aprovação do então PL 547/2018.

REDE TRIFÁSICA – A modernização das linhas de transmissão e os sistemas de distribuição nas áreas rurais é um pedido recorrente da FAEP há mais de uma década. Um estudo elaborado pelo Departamento Técnico Econômico da Federação apontou a dimensão do prejuízo que as quedas de energia elétrica podem gerar.

REDUÇÃO DO ICMS – O governador do Paraná, Carlos Massa Júnior, assinou a renovação do convênio que prorroga os benefícios fiscais do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) ao setor produtivo de todo o Estado. Entre os produtos que continuaram a ter redução no ICMS estão agroquímicos, sementes, fertilizantes, defensivos e rações, entre outros. A renovação ocorreu após a mobilização de entidades como a FAEP, que tinha enviado um ofício à Secretaria de Estado da Fazenda, solicitando a continuidade do benefício e apontando o impacto que o fim da desoneração implicaria a todo o setor rural.

PAP 2019/2020 – Como faz todos os anos, a FAEP, em conjunto com as demais entidades representativas do agronegócio paranaense, encaminhou ao MAPA “Proposta para o Plano Agrícola e Pecuário (PAP) Safra 2019/2020”, documento no qual reivindicou ao governo federal a destinação de recursos para custeio, investimentos e comercialização.

PROBLEMAS CLIMÁTICAS – Esta questão está sempre no “radar” do Sindicato Rural de Guarapuava e da FAEP. O tema é pauta de reuniões constantes para avaliar o andamento das safras e a forma que as entidades podem atuar junto aos governos para favorecer os produtores.


MIP NA PONTA DO LÁPIS – Uma equipe de técnicos do Sistema Faep/Senar percorreu oito municípios para realizar um levantamento que mediu os resultados obtidos por produtores que aplicaram o Manejo Integrado de Pragas (MIP) na Soja. Entre os principais resultados, está o índice de aplicações de agroquímicos. Nas áreas conduzidas a partir do MIP foi registrada a de 0,6 aplicação. Já nas áreas sem MIP, a média foi de 2,2 aplicações, sendo que um produtor chegou a fazer quatro vezes na área sem MIP, contra zero na de MIP. Lembrando que o Senar-PR em parceria com a Embrapa Soja e a Emater disponibiliza cursos do MIP em diferentes culturas.


PULVERIZAÇÃO AÉREA – Mais que político, é um assunto técnico e a FAEP se mostra atenta a isso. Em conjunto com a Adapar, a Federação formulou relatórios e estudos técnicos mostrando, com base em aspectos ambientais, técnicos e jurídicos, que a aplicação aérea é segura, eficiente e fundamental à agricultura do Paraná. O tema vem sendo especialmente considerado desde 2019, quando o deputado estadual Tadeu Veneri (PT) tentou proibir a pulverização aérea no Paraná e a FAEP se posicionou contra.


ACESSO AO CRÉDITO – Desde 1º de janeiro de 2019 é obrigatório que todas as propriedades estejam inscritas no Cadastro Ambiental Rural (CAR). No entanto, algumas instituições financeiras estavam restringindo a liberação de crédito apenas para produtores cuja inscrição no CAR constava como Ativo. Diante disso, a FAEP atuou junto ao IAP para reforçar que, segundo a Lei 12.651, no Artigo 78, basta os produtores estarem inscritos no CAR para terem acesso ao crédito.


REMANEJAMENTO – A Entre as linhas que passaram a contar com mais recursos, estÃO o Programa de Construção de Armazéns (PCA) e o Programa de Modernização da Frota de Tratores e Implementos (Moderfrota).


MANUAL DO PROSOLO – Foi lançado o Manual de Manejo e Conservação do Solo e da Água para o Estado do Paraná, contendo informações e resultados de pesquisas de conservação de solo e água, para subsidiar os técnicos de extensão rural no manejo e nos projetos na área, em um mesmo lugar. A publicação é resultado de uma demanda do Programa Integrado de Conservação de Solo e Água do Paraná (Prosolo) e contou com o apoio do Sistema Faep/Senar.

mapa antigo gp.jpg

Ano de 1819 lembra o ato formal de fundação da Freguesia de Nossa Senhora de Belém 

gp hoje.jpg

SÉRIE
Guarapuava é a gente que faz 

tropeiros.jpg

Documento original assinado em 1818 por Joaquim de Marçal nunca foi encontrado

DEIXE SUA OPINIÃO

Obrigado!